Se um ex-chefe pedisse emprego, você o contrataria?

Notícias

Recentemente, deparei-me com uma situação inusitada em uma de minhas empresas: meu ex-chefe estava concorrendo em um processo seletivo.

Como empresária, tenho pequenas participações societárias em diversas empresas na área de recursos humanos, e uma delas é de recolocação profissional, que faz programas de avaliação de competências para grandes organizações contratarem profissionais extremamente qualificados para ocuparem cargos estratégicos de liderança.

Nesta semana recebi um telefonema diferente: meu ex-chefe tinha pesquisado na internet a empresa que o estava avaliando para o novo cargo. Coincidentemente, encontrou meu nome em sua pesquisa, lembrou-se de mim e me ligou para saber mais sobre como funcionava o processo seletivo que ele estava participando.

Há 16 anos eu fui estagiária de uma grande empresa multinacional e, na época, ele foi meu chefe por um bom período.

Após essa conversa com meu ex-chefe, lembrei-me das inúmeras insatisfações e reclamações que recebo dos leitores sobre relacionamento com os superiores. Pensei em como o mundo dá voltas, o quão importante é o relacionamento interpessoal e o quanto pode ajudar ou prejudicar na trajetória da carreira.


Elogie mais

O mercado de trabalho global vem exigindo mais de candidatos a empregos.

Claro que o alto desempenho no trabalho, gerar excelentes resultados e ter as habilidades técnicas certas ainda importam, mas você deve ficar atento: o mundo corporativo gira também por meio das relações interpessoais.

Como andam suas habilidades interpessoais? O habilidoso nos relacionamentos é aquele que cria empatia e transforma o ambiente em uma atmosfera agradável e amiga. Ele demonstra que é grato às pessoas. Sempre agradece e diz obrigado olhando nos olhos de maneira respeitosa, não por obrigação.

O habilidoso nos relacionamentos sempre elogia as pessoas, pois sabe que receber um elogio é agradável e também é uma poderosa arma usada para construir uma carreira de sucesso.

Essas habilidades interpessoais cabem a todos os bons profissionais, independentemente do nível hierárquico. Comece, portanto, a agir agora. Esteja atento a sua forma de agir com todas as pessoas que cruzam seu caminho.

Se fosse você: ajudaria seu chefe a se recolocar no mercado de trabalho? E para quem está ocupando um cargo de chefia hoje: será que seu subordinado o contrataria para uma vaga tão importante?

Meu ex-chefe

Claro que não interferi no processo seletivo do meu ex-chefe, jamais faria isso. Mas quis saber o resultado final da avaliação feita pelas minhas sócias.

Sim, meu ex-chefe conseguiu a vaga que ele tanto queria. Passou por méritos próprios e fiquei muito feliz por ele. Afinal, foi um dos vários chefes excelentes com quem tive o privilégio de conviver em minha trajetória profissional.

Não sabemos o dia de amanhã. O estagiário de hoje pode ser chefe amanhã; seu funcionário pode tornar-se responsável por uma importante decisão na sua carreira. Você poderá reencontrar seu chefe em outra empresa. As possibilidades são infinitas.

Por isso é fundamental construirmos relações de respeito, transparência e confiança, independentemente do nível hierárquico, social ou financeiro. E você? Tem criado boas conexões por onde passa?

Gostou do artigo? Útil para alguém? Então compartilhe!

Fonte: UOL

13:16:33

2016-03-02

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *