Sindicato Nacional dos Trabalhadores de Pesquisa e Desenvolvimento Agropecuário

Seções Sindicais

Filiado à CUT

Seção Sindical de Sete Lagoas - MG

Home Pesquisa em foco

Confederação profissional tenta, no STF, exigir contribuição de não filiados

A Confederação Nacional das Profissões Liberais (CNPL) ajuizou arguição de descumprimento de preceito fundamental para questionar a Súmula 666 do SupremoTribunal Federal. O verbete diz que a contribuição confederativa, de que trata o artigo 8º, inciso IV, da Constituição Federal, só pode ser exigida dos filiados a sindicato.

A entidade defende que a súmula está em descompasso com novas circunstâncias fáticas que tornam necessária sua análise pela corte, para que proclame novo critério de incidência da contribuição.

A entidade requer que conste no enunciado da Súmula 666 que a contribuição deve incidir sobre todos os integrantes da categoria profissional, cujo valor deverá ser aprovado em assembleia geral regularmente convocada, na forma estatutária de cada entidade. Deve ainda observar o princípio constitucional da proporcionalidade. O ministro Celso de Mello é o relator da ADPF.

O dispositivo constitucional, explica a CNPL, criou o denominado sistema confederativo, composto por sindicatos de primeiro grau, federações e confederações. “As novas disposições normativas o desconstruíram, no que toca ao segmento dos trabalhadores, cuja representação é a essência historicamente estabelecida dos próprios sindicatos. Consequentemente, a manutenção exclusiva de sistema de sindicatos patronais somente gera um capitalismo de opressão, posto que apenas os mais fortes ainda dispõem, exclusivamente, do sistema confederativo, introduzido pela Constituição para veicular, primordialmente, direitos e interesses dos trabalhadores”, explica.

A nova lei trabalhista, que tornou opcional a contribuição sindical, importou “no desabamento do sistema de representação dos trabalhadores na democracia brasileira”, disse. Explica que a tutela do ‘valor trabalho’ ficou prejudicada pela nova lei de regência do Direito Trabalhista e também após decisões adotadas pelo Supremo.

A CNPL cita decisão liminar do ministro Gilmar Mendes na ADPF 323, que determinou a suspensão de todos os processos em curso e dos efeitos de decisões judiciais proferidas no âmbito da Justiça do Trabalho que versem sobre a aplicação da ultratividade de normas de acordos e de convenções coletivas e das execuções já iniciadas. Tal decisão, defende, “ensejou o brutal enfraquecimento das entidades sindicais de trabalhadores”.

A confederação alega, por fim, que, diante desse quadro, não há mais paridade entre as instituições de empregados e empregadores. Com informações da Assessoria de Imprensa do STF.

ADPF 498

Fonte: Conjur

20:53:15

2017-12-02

 
Empresa da família Maggi leva 70% do subsídio ao milho em programa do governo
25/07/2017

A Amaggi, empresa da família do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, mostrou um apetite sem precedentes neste ano em leilões de Prêmio de Escoamento do Produto (PEP) para subvencionar o transp [ ... ]


Embrapa alcança posição de destaque em ranking mundial de produção científica
11/07/2017

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) atingiu o segundo lugar entre as instituições científicas governamentais brasileiras. Além disso, a entidade entrou para o ranking mundial  [ ... ]


Água e agronegócio: uma relação a ser mais bem examinada
20/06/2017

As cadeias produtivas da agricultura e das agroindústrias têm cada vez mais impactado os recursos naturais em nosso país. Recentemente a água tem se tornado objeto de atenção por conta de dif [ ... ]


Brasil tem um ativista ambiental assassinado por semana em média, mostram ONU e CIDH
11/06/2017

Especialistas da ONU e da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) afirmaram, na última quinta-feira (8), que o Brasil tem o maior número de assassinatos deativistas defensores do meio am [ ... ]


Preocupante: Embrapa sofre fortes críticas em reportagem de capa da revista Globo Rural
05/06/2017

GLOBO RURAL AGRONEGÓCIOS A Embrapa na encruzilhada Destaque A empresa estatal, que hoje gasta 85% do seu orçamento com pessoal, estuda novos modelos para reduzir a burocracia e priorizar a ciênc [ ... ]


Dívida dos ruralistas será moeda de troca para aprovar reformas de Temer
07/05/2017

A CNTSS/CUT – Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social vem a público reafirmar sua defesa intransigente dos direitos dos trabalhadores brasileiros e da política pública d [ ... ]


Outros artigos: