Sindicato Nacional dos Trabalhadores de Pesquisa e Desenvolvimento Agropecuário

Seções Sindicais

Filiado à CUT

Seção Sindical de Sete Lagoas - MG

TRT publica decisão do processo 631 dos assistentes A, B e C da Embrapa

No último dia 17 de novembro, o Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (TRT 10), do Distrito Federal e Tocantins, publicou a decisão para o processo 631 (número 000631-67.2015.5.10.0016), de 2015, que trata da concessão de uma referência aos assistentes, conforme o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) da Embrapa 2010/2011.

Na decisão da primeira instância do tribunal, o juiz Ricardo Machado Lourenço Filho concedeu:

1) uma referência a todos os empregados que, em julho de 2010, ocupavam os cargos de assistente A, B e C, com os respectivos reenquadramentos e pagamento das diferenças salariais, parcelas vencidas e a vencer, com reflexos em férias e 13º salários, adicional de tempo de serviço e FGTS, conforme previsto no parágrafo primeiro da cláusula 22 do ACT 2010/2011;

2) uma referência aos empregados que, na vigência do ACT 2010/2011, ocupavam o cargo de assistente A e cuja função ou área de atuação exigiam registro em conselho de classe, independente de escolaridade, com os respectivos reenquadramentos e ao pagamento das diferenças salariais respectivas, parcelas vencidas e a vencer, com reflexos em férias e 13º salários, adicional de tempo de serviço e FGTS, conforme previsto no parágrafo primeiro da cláusula 22 do ACT 2010/2011.

Porém, o julgamento da segunda instância excluiu os assistentes A com registro em conselho de classe, que já tinham sido contemplados na ação 2129 (número 0002129-88.2011.5.10.0001), de 2011, e os assistentes A, B e C que entraram na empresa após julho de 2010.

ENTENDA

Em 2011, o SINPAF entrou com uma Ação Coletiva com lista de substituídos na justiça do trabalho, por meio do processo 2129 (2011), para que a Embrapa concedesse a referência aos assistentes A com registro em conselho de classe, conforme o parágrafo segundo da cláusula 22ª do ACT 2010/2011.

Após a instauração do processo, alguns trabalhadores que desejavam participar procuraram o SINPAF. Entretanto, por se tratar de uma ação com lista de substituídos (quando são informados os nomes das pessoas que fazem parte do processo), o juiz não autorizou a inclusão posterior desses empregados.

Neste caso, a Diretoria Nacional do SINPAF ingressou com uma nova Ação Coletiva (processo 631, de 2015) para inclusão dos assistentes A, que ficaram de fora do processo 2129 (2011), e acrescentou a reivindicação do parágrafo primeiro da cláusula 22ª, que contempla os assistentes A, B e C.

Portanto, a atual decisão (acórdão), publicada em 17 de novembro de 2017, reconhece o benefício aos assistentes A, que não estavam inscritos na ação 2129 (2011), e para os assistentes A, B e C que já estavam na empresa até julho de 2010.

 

Clique aqui e leia o acórdão da 2ª instância

Clique aqui e leia a decisão da 1ª instância

Fonte: DN

09:30:41

2017-11-24