Sindicato Nacional dos Trabalhadores de Pesquisa e Desenvolvimento Agropecuário

Seções Sindicais

Filiado à CUT

Seção Sindical de Sete Lagoas - MG

Dívida dos ruralistas será moeda de troca para aprovar reformas de Temer

A CNTSS/CUT – Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social vem a público reafirmar sua defesa intransigente dos direitos dos trabalhadores brasileiros e da política pública de Previdência Social. Assim, reitera sua total desaprovação às manobras realizadas pelo governo ilegítimo de Michel Temer para conseguir os votos para aprovação das reformas da Previdência e Trabalhista. Desta vez o abuso contra o trabalhador e os recursos do Tesouro Nacional acontece com a proposta que possibilita o perdão das dívidas do setor do agronegócio que pode chegar a mais de R$ 1 trilhão.

Noticiado pela imprensa, a possível acordo vem sendo negociado entre os interlocutores do governo federal com os parlamentares representantes da bancada ruralista.  Dados da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional apresentados em dezembro de 2016, também pela mídia, demonstram que cerca de 4 mil pessoas físicas e jurídicas do setor rural deviam à época mais de R$ 900 bilhões. São grandes devedores que possuem débitos acima de R$ 50 milhões.Para o presidente da CNTSS/CUT, Sandro Alex de Oliveira Cezar, a sociedade brasileira está sendo vítima de um novo golpe por parte do governo federal. A alegação da falta de recursos financeiros e da quebra do caixa do Estado brasileiro caem por terra ao verificarmos iniciativas como esta que a sociedade vem presenciando na Câmara Federal. Para ele, fica difícil manter a retórica de falta de recursos para pagar os benefícios previdenciários dos trabalhadores quando recursos neste montante são usados para perdoar dívidas do setor do agronegócio.

“O presidente Michel Temer acaba com a aposentadoria dos pobres para financiar os ricos. Esta proposta apresentada de acordo com o setor ruralista é absurda e inadmissível. O perdão das dívidas vai incentivar o não pagamento de impostos por parte deste setor. É por conta desta situação que os parlamentares representantes do agronegócio vão votar contra a aposentadoria dos pobres e aprovar as demais propostas que prejudicam os trabalhadores e estão para ser votadas na Câmara”, destaca Sandro Cezar.

A Confederação, que representa os trabalhadores da Seguridade Social, pertencentes aos setores da Saúde, Previdência e Assistência Social, nas áreas pública e privada, tem denunciado o governo Temer que tenta fazer com que a população acredite em déficit da Previdência Social Pública. Esta falácia já foi desmentida a partir de apresentação de indicadores que demonstram que há superávit nas contas da Previdência Social.

A CNTSS/CUT tem atuado junto aos seus Sindicatos e Federação para que atuem com suas bases na luta contra as reformas da Previdência e Trabalhista, assim como do projeto de Terceirização apresentados pelo governo Temer. Para os dirigentes da Confederação, a população não pode ser prejudica com propostas que lhes tirem direitos trabalhistas e benefícios, como o direito a uma aposentadoria digna, por conta de políticas que visam o desmantelamento do Estado Brasileiro em detrimento do capital nacional e internacional.

 

12:27:01

2017-05-07

Fonte: CUT MG